Universidade Lusíada assinala o Dia Mundial da Língua Portuguesa.

Autor: Rita Neto Marques/quarta-feira, 5 de maio de 2021/Categorias: Notícias

Rate this article:
Sem classificação

A Universidade Lusíada assinala o Dia Mundial da Língua Portuguesa, que se celebra a 5 de Maio de 2021.

Proclamado pela UNESCO em 2019, foi celebrado pela primeira vez em 2020 e tem como principal objectivo destacar o importante papel da língua portuguesa no âmbito da preservação e disseminação da cultura e civilização humanas.

Com mais de 260 milhões de falantes em todos os continentes, o português é a língua oficial de Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Equatorial, Guiné-Bissau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste, sendo, também, a língua oficial da Região Administrativa Especial de Macau da República Popular da China e a mais falada no hemisfério sul.



Ilustração 1 – Mensagem do Secretário-Geral das Nações Unidas, Dr. António Guterres, por ocasião do Dia Mundial da Língua Portuguesa de 2021.


As celebrações, que têm a coordenação do Camões Instituto da Cooperação e da Língua, realizam-se em 44 países, com mais de 150 actividades, nos formatos on-line e presencial, incluindo conferências, colóquios, concertos, concursos literários, entre outras. Realiza-se, também, uma sessão solene, em Lisboa, com a presença do chefe da diplomacia portuguesa, Doutor Augusto Santos Silva, bem como do secretário executivo da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), Dr. Francisco Ribeiro Telles.

A par com estes eventos, o "Lisboa 5L: Festival Internacional de Literatura e Língua Portuguesa", organizado pela Câmara Municipal de Lisboa, realizar-se-á de 5 a 9 de Maio de 2021, tendo em vista a promoção da língua, da literatura, de livros, de livrarias e de leitura na cidade de Lisboa. Neste Dia Mundial da Língua Portuguesa, apresenta diversas iniciativas digitais e presenciais que reúnem autores lusófonos e outras personalidades.

Neste sentido, como depositária do espólio constituído pelo arquivo e biblioteca pessoais do escritor Joaquim Paço d'Arcos, a Fundação Minerva – Cultura – Ensino e Investigação Científica e a Universidade Lusíada destacam, no âmbito do referido festival, o itinerário literário "A Lisboa de Joaquim Paço d'Arcos", no contexto do qual o escritor é descrito como "[...] um dos principais autores portugueses do século XX, embora muitas vezes esquecido pela crítica e pelo público. Através das suas obras podemos ver um retrato da sociedade portuguesa em diferentes décadas da primeira metade de novecentos" [fonte: página web do evento].



Ilustração 2 – Joaquim Paço d'Arcos (© Fundação Minerva).


Apresentamos um breve olhar do escritor sobre a cidade de Lisboa, a partir de uma das suas obras:

A cidade dorme a seus pés: o bairro pobre, as docas, o pontão de Cacilhas iluminado além rio. De quando em quando passa na Avenida da Índia um automóvel que vai para o Estoril ou um camião retardatário e ruidoso. Apita uma sereia no Tejo. O projector de um vaso de guerra estende no céu uma estrada móvel e luminosa. A cidade dorme. E eles velam.

[PAÇO D'ARCOS, Joaquim (1957) Crónica da vida lisboeta : ansiedade. 5.ª edição. Lisboa : Guimarães. 287 p.] 

Print

Número de visualizações (167)/Comentários (0)

Tags:
Rita Neto Marques
Rita Neto Marques>

Rita Neto Marques

Other posts by Rita Neto Marques

Please login or register to post comments.